Dicas

Couro natural é o mais perfeito material para calçados. O couro "respira", assim, ao utilizar calçados de couro, seus pés "respirarão" como pede a natureza. O couro é flexível e se dobra a cada movimento que você faz. Couro é também elegante e confortável, durável e "restaurável". Couro é um investimento que precisa de cuidados especiais.

Para manter seu investimento e sua saúde, aqui vão algumas dicas:

Remova a poeira de seus sapatos com um pano macio, como flanela, de forma a não arranhá-lo.

Faça um rodízio em seus sapatos, evite utilizar somente o mesmo sapato por um longo período para que o mesmo não absorva a umidade natural dos pés por períodos constantes.

Use uma calçadeira ao calçar os sapatos. A calçadeira não deixa que o sapato se deforme ao calçá-lo. Jamais tire os sapatos dos pés com o auxílio do outro pé (pisando no calcanhar do mesmo). Utilize sempre as mãos e jamais puxe o mesmo pelo salto, pois isto pode causar o descolamento e deformação do salto com o passar do tempo.

Lustre seus sapatos com uma graxa de boa qualidade. Graxas líquidas utilizadas com muita freqüência tendem a se acumular sobre o couro e causar ressecamento com o tempo. Caso seja de sua preferência utilizar graxa líquida, leve o mesmo a um profissional de tempo em tempo para que o mesmo possa remover a camada de graxa líquida que se adere ao couro e passe uma tinta apropriada e graxa. A graxa é muito importante para que o couro se mantenha sempre macio e novo.

Quando viajar, embale seus sapatos em sacos de flanela. A flanela protege seus sapatos de arranhões e cortes.

Não importa o quanto tentemos proteger nossos sapatos, os mesmos acabam eventualmente se molhando (principalmente em dias de chuva). É possível, no entanto, minimizar os efeitos da água e evitar deformações e mofo. No caso dos mesmos molharem, deixe que seus sapatos sequem em local arejado e em temperatura ambiente. Jamais coloque os sapatos ou quaisquer artigos de couro para secar sob o sol direto ou sob calor direto (atrás da geladeira, por exemplo, como algumas pessoas fazem), sob risco de ressecar o couro e causar rachaduras.

Para um polimento rápido e sem sujeira, utilize esponja siliconizada apropriada (esponja mágica) que pode ser encontrada em nossa loja. A esponja mágica é prática e deixa sapatos e bolsas brilhando sem sujar as mãos.

O couro nobuck e a camurça, devido ao intenso tingimento que recebem, podem manchar quando em contato com a umidade natural do pé. Caso utilize estes calçados em dias muito quentes em que seus pés suem muito, deixe-os secar em local arejado.

A colocação de buchas de papel dentro dos sapatos, como aquelas vindas de fábrica, ajudam a manter a forma do sapato. Caso fique sem utilizar determinado sapato por um longo período, coloque buchas de papel dentro do mesmo e guarde sempre com o solado para baixo.

Compre sapatos novos no final do dia. Alguns pés costumam inchar e aumentar 5-8% após um dia intenso. Desta forma, o sapato será provado com o pé em seu tamanho máximo e não ficará apertado. Comprando os sapatos novos com os pés descansados pode causar desconforto quando os mesmos incharem. Isto é algo normal e pode acontecer com qualquer pessoa.

Evite dores de coluna e musculares mantendo os saltos de seus sapatos sempre bem "calibrados". Saltos gastos que apresentem diferença de tamanho de um pé para o outro podem causar problemas de saúde.

Compre sapatos de boa qualidade. Em média uma pessoa dá 8.000 passos durante um dia. Se esta pessoa pesa 75kgs, a força diária que se acumula em seus pés é 1.000 toneladas. Gaste um pouco mais por sapatos que irão dar o conforto que você precisa e merece.

Seja por razões de necessidade ou vaidade, podemos muito bem assumir que os sapatos existem desde que existiam terrenos acidentados, estradas de terra, temperaturas extremas e ingenuidade humana. Sendo assim, aqui estão alguns dos eventos documentados que fazem nossa rica e colorida história dos sapatos.

1. Dicas sobre conservação e utilização de bagagens

Como guardar:

Normalmente as malas e sacolas são projetadas para serem acondicionadas uma dentro da outra, em ordem de tamanho decrescente, ocupando um mínimo de espaço e protegendo seus componentes e tecidos. Verifique se não há objetos comprimindo sua mala dentro do armário. Eles podem deformar a estrutura e causar danos permanentes. Ates de guardar, envolva sua mala em tecido ou saco plástico.

Como conservar:

  • Não exceda a capacidade da mala, respeitando as limitações de resistência;
  • Objetos cortantes ou pontiagudos devem ser envolvidos por papelão ou plástico-bolha, evitando o contato direto com a mala;
  • Embalagens com líquidos devem ser cuidadosamente embaladas em sacos plásticos;
  • Quando não estiver em uso, sua mala deve estar envolvida com tecido ou saco plástico.

Como limpar:

Em geral todas as malas e sacolas são laváveis - interna e externamente – com pano úmido, água morna e sabão neutro. Na limpeza, nunca utilize solventes, abrasivos ou produtos químicos. Após limpar, seque sua mala à sombra, tomando sempre cuidado de não guardá-la ainda úmida para evitar manchas de bolor. Consulte sempre o certificado de garantia de sua mala e observe atentamente as instruções para limpeza.

Como transportar:

As alças de sua mala são projetadas para transportá-la, podendo ser puxadas ou carregadas.

  • Não use outras partes da mala para tal finalidade;
  • Ao transportar sua mala, certifique-se de que as rodas estão livres de elementos que possa impedir o movimento giratório;
  • Terrenos acidentados podem danificar o carrinho da sua mala, nestes casos, prefira carregá-la até uma superfície plana;
  • As alças retrateis são projetadas para manusear as mala, e não para carrega- lás, pois elas não suportam o peso. Para isso há outra alça mais apropriada.


O que você não pode levar:

  • Armas de fogo*;
  • Documentos negociáveis, ações, valores**;
  • Gases comprimidos;
  • Instrumentos musicais volumosos;
  • Líquido e sólidos inflamáveis;
  • Materiais magnéticos, radioativos, oxidantes;
  • Material irritante;
  • Munições, explosivos e fogos;
  • Peróxidos orgânicos;
  • Produtos venenosos ou corrosivos;
  • Substâncias infecciosas.

* Exceto quando portadas por autoridades competentes. Armas esportivas, desmontadas e embaladas poderão ser transportadas no compartimento de bagagem.
** São aceitos apenas como bagagem de mão.


2. Dicas sobre extravio, violação ou danificação de bagagens em aeroportos

Encontrar a bagagem danificada na esteira rolante do aeroporto, ou simplesmente não encontrá-la, é uma experiência traumática para quem desembarca em uma viagem de negócio, de lazer ou mesmo de retorno para casa. Veja a seguir algumas dicas que poderão minimizar os efeitos deste problema:

  • Em caso de dano ou sinais de violação, a primeira providencia é comunicar imediatamente à empresa aérea e preencher o Registro de Irregularidade de Bagagem (RIB). Para reforçar a queixa, é recomendável procurar as Seções de Aviação Civil (SAC) instaladas em cada aeroporto. Elas são ligadas ao Departamento de Aviação Civil (DAC), órgão oficial responsável por reclamação de bagagens;

  • A empresa aérea imediatamente promoverá investigações e se responsabilizará pelo pagamento de indenização ou reparo, na forma de lei, ressalvados os casos de dolo, má-fé e embalagem inadequada para transporte;

  • Em caso de extravio, o passageiro deverá comunicar o problema à empresa aérea antes de retirar da área, um relatório em três vias (uma fica com o passageiro) com a descrição do volume extraviado e informações sobre seu conteúdo. A empresa aérea tratará de localizar a bagagem e, se não obtiver êxito, será obrigada a indenizar o passageiro;

  • Quando constatar sinais de violação (cortes na bagagem, fechos ou cadeados forçados, conteúdo remexido, pacotes rasgados, etc.) o passageiro deve de imediato comunicar o problema à empresa aérea, que preencherá um relatório em três vias (uma fica com o passageiro) contendo detalhes sobre a violação e indicação sobre o valor dos objetos desaparecidos. A empresa aérea não aceita reclamações referentes a dinheiro, jóias, máquinas fotográficas, filmadoras e outros objetos de valor. O passageiro deve ler atentamente a contracapa do bilhete de passagem, onde constam as limitações de responsabilidade da empresa aérea no transporte da bagagem;

  • Em vôos internacionais, a empresa aérea indenizará extravios de bagagem no valor máximo de US$400,00. Em vôos nacionais, a indenização será feita com base no Código Brasileiro de Aeronáutica;

  • Se o passageiro não reclamar de imediato e não preencher relatório apropriado perde o direito de reclamar na empresa aérea a indenização por dano, violação ou extravio de bagagem;

  • Ao deixar para reclamar de dano, violação ou extravio, por carta, o passageiro está sujeito a prazos imprevisíveis para receber indenizações;

  • A empresa aérea não se responsabiliza por qualquer prejuízo em bagagens de mão ou objetos de uso pessoal do passageiro, a não ser quando o prejuízo decorre da falha de algum funcionário, devidamente constatada pela empresa;

  • Para facilitar a identificação e localização em caso de extravio, o passageiro deve colocar etiqueta por fora da bagagem, com nome, endereço completo e telefone.